O Colágeno

Colágeno – Para Que Serve e Quais as Indicações

Atualizado em 31/01/2019
Neste artigo você descobrirá quais são as formas mais comuns de uso do colágeno e para o que ele serve quando o assunto é beleza e saúde.
Colágeno - Para Que Serve e Quais as Indicações

Para que serve o colágeno

Pode ser que você não saiba, mas a firmeza da sua pele tem relação direta com uma proteína presente em um terço do seu corpo: o colágeno.

Quando a pele fica flácida, é provavelmente porque a sua produção diminuiu. Isso pode acontecer tanto pelo envelhecimento natural quanto por maus hábitos de vida.

A substância, que conta com mais com 3 mil aminoácidos em sua composição, é fundamental para manter a firmeza da pele.

Segundo pesquisadores, há mais de 20 tipos distintos de colágeno no corpo. Ele também tem atuação importante para proteger os tendões.

A seguir você entenderá mais sobre os seus benefícios e indicações dessa proteína!

Função do colágeno

Você acabou de ver que o colágeno é fundamental para a sustentação da pele, entre outras ações dele. Mas, afinal, quais as suas funções específicas, já que forma 75% da nossa pele?

Essa proteína é responsável principalmente pela elasticidade da pele. Ela dá resistência e, pode-se dizer sem termos técnicos, que evita que a pele fique “caída”.

Uma pessoa com 20 anos, por exemplo, não possui a mesma pele firme de uma pessoa com 60. Isso, em grande parte, se dá justamente graças à produção maior ou menor da substância.

A proteína atua mantendo as células unidas e firmes, o que reflete além da aparência da pele. Nos tendões e ligamentos, por exemplo, ela aumenta a resistência e flexibilidade.

Ainda, é importante para proteger os músculos e ossos.

É por isso que, como você verá mais adiante, ela é utilizada no tratamento de algumas doenças ósseas.

Para se ter uma ideia, a deficiência dessa proteína natural no organismo pode levar a diversas consequências:

  • Flacidez;
  • Rugas;
  • Envelhecimento precoce da pele;
  • Má formação óssea;
  • Inflamações nas juntas musculares.

A formação do colágeno inicia dentro das células e possui uma estrutura chamada de hélice-tripla. No caso, se você o visse em um microscópio, seria dessa forma.

As três espécies de fitas que o formam são compostas por glicina, prolina e lisina.

Há ainda aminoácidos que colaboram na sua formação: hidroxilisina e hidroxiprolina. A combinação de todas as propriedades é que dá a importância que a substância possui.

Benefícios do colágeno

Agora que você já sabe para que serve o colágeno, pode entender melhor os seus benefícios. Além de ser importante para manter a pele jovem, ele também é benéfico para o intestino, fígado e doenças cutâneas.

Confira a seguir os seus principais benefícios:

  • Aumenta a hidratação e elasticidade da pele;
  • Fortalece as unhas e o cabelo;
  • Protege os músculos;
  • Previne úlceras de pressão;
  • Previne rugas precoces;
  • Potencializa a cicatrização da pele;
  • Recobre o intestino;
  • Regula os níveis da produção de insulina;
  • Auxilia na desintoxicação do fígado;

Graças a todos esses benefícios, mesmo a substância sendo produzida naturalmente pelo corpo, muitas pessoas recorrem a outras fontes. Alimentos como ovo, aveia, peixe, ervilha e brócolis são algumas delas.

Tipos de colágeno

Mesmo havendo cerca de 20 tipos dessa proteína, o colágeno 3 e 1 são os mais conhecidos. Além deles, o tipo 2 também costuma ser abundante e se destacar pela importância.

Entenda melhor sobre cada um desses três tipos a seguir!

Colágeno tipo 1

Esse é considerado o mais comum.

Ele está presente no organismo principalmente nos tendões, ossos e pele. A sua maior função é aumentar a resistência dos tendões, por isso é tão importante para quem é atleta ou pratica exercícios físicos com frequência.

Colágeno tipo 2

Presente nas cartilagens hialina e elástica, está associado a doenças como a artrose. Por isso, quando há sua deficiência, é indicada a suplementação para quem sofre da doença.

Colágeno tipo 3

Esse tipo pode ser encontrado desde a artéria aorta do coração até o fígado, pulmões, baço, entre outros. Ele é quem constitui as fibras reticulares.

Quando a sua produção diminui?

A história de que a produção do colágeno diminui no organismo não é apenas um mito. Há, de fato, fatores externos que podem contribuir com isso: fumo, bebida alcoólica em excesso, má alimentação ou exposição excessiva ao sol.

Entretanto, mesmo com todos esses cuidados há de se considerar que a partir dos 25 anos essa produção diminui naturalmente.

Aos 30 anos essa perda da substância começa a ser mais evidente através principalmente de sintomas na pele. Aos 50, então, é quando a produção fica ainda mais rara.

Seja pelos fatores internos ou externos, muitas pessoas procuram como repor a perda da proteína. Além dos alimentos citados anteriormente, há hoje em dia outras formas de fazer isso.

Suplementos alimentares e procedimentos estéticos para estimular a sua produção são alguns dos principais.

Colágeno e vitamina C: qual a relação?

A ligação dessa proteína natural com a vitamina C é também muito comentada. Muitas pessoas utilizam a combinação de ambas para dar um efeito ainda mais jovem à pele.

A vitamina C tem uma ação potencializadora no colágeno. Ela estimula diretamente a produção dele e também da elastina.

Por isso, a vitamina faz com que o colágeno consumido de outras fontes que não o organismo tenha a consistência e os resultados esperados.

Ainda, é válido lembrar que a vitamina C auxilia no processo de cicatrização da pele.

Para quem é indicado?

Mesmo havendo opções para repor o colágeno e sabendo da sua importância à saúde, é preciso fazer isso na hora correta.

Entenda que não é apenas porque você leu que a sua produção diminui a partir dos 25 que deve sair fazendo a reposição.

É importante contar principalmente com a análise de profissionais como dermatologistas. Já quem tem problemas ósseos também pode receber essa indicação.

Para entender melhor, veja em quais casos ele é mais indicado:

  • Enfraquecimento dos fios de cabelo;
  • Aumento das rugas e linhas de expressão;
  • Flacidez;
  • Estrias;
  • Celulite;
  • Pele desidratada;
  • Casos de osteopenia e osteoporose;
  • Perda de sustentação das articulações e ligamentos.

De qualquer forma, o ideal é contar com o acompanhamento de um profissional. O colágeno tem diversas funções no organismo e é uma das proteínas mais importantes.

Além de manter hábitos saudáveis para não acelerar a sua perda, não se esqueça de agir de forma preventiva na sua reposição quando necessário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Todos os direitos reservados O Colágeno - 2019. Proibida a reprodução de qualquer conteúdo contido no site O Colágeno sem expressa autorização prévia. Site desenvolvido por WEB.2K Marketing Digital e Consultoria SEO.